Carregando...

0 Localizações encontrados perto de você

    Encontre uma aula

    Não podemos ver nenhum resultado para essa pesquisa. Dica: tente usar o nome da cidade mais próxima.

    Todas as Aulas
    Voltar para o mapa

    Nenhum resultado

    Não podemos ver nenhum resultado para essa pesquisa. Dica: tente usar o nome da cidade mais próxima.

    Atração & Retenção

    Novo relatório global define as tendências mais quentes de treino

    Abrangendo 1.500 academias em 20 países, o relatório de tendências globais do ClubIntel 2019 oferece novas informações sobre o que há de melhor no mundo do fitness e como as academias estão evoluindo para enfrentar novos desafios. Analisamos cinco descobertas de destaque para o futuro das aulas coletivas.

    Les Mills

    "Ver as coisas na semente é genial".

    É a citação do antigo filósofo chinês Lao Tzu - que aparece com destaque no novo relatório do ClubIntel International Fitness Industry Trend Report.

    O sentimento, é claro, é que aqueles que conseguem identificar tendências em seus estágios iniciais estarão em melhor posição para aproveitar o crescimento subsequente e a adoção principal. E é exatamente isso que este relatório anual se propõe a fazer: destacar as tendências mais recentes que surgem no setor de fitness global e as etapas que os gestores devem tomar para capitalizá-las.

    Seja a dinâmica do poder de mudança entre os mercados internacionais de fitness, as tendências de treinos em grupo realmente decolando nas academias ou as tendências tecnológicas. Há muito o que descompactar e refletir no relatório de 94 páginas.

    A versão deste ano inclui informações de profissionais de fitness que representam cerca de 11.500 academias e estúdios em 20 países. O relatório se divide em tendências em quatro categorias (equipamentos, instalações, programas e tecnologia), examinando como elas diferem nos segmentos de academias (por exemplo, estúdio boutique, low cost, luxo, organização sem fins lucrativos etc.) e regiões geográficas, para fornecer insights macro globais e mais adaptados a tipos específicos de negócio.

    Então, o que o relatório nos diz sobre as sementes que estão sendo semeadas na indústria global de fitness de hoje? E quais serão nos próximos anos? Aqui estão cinco resultados de relatórios destacados sobre as tendências que estão impulsionando um boom global nas aulas coletivas:

    1. A 'compartimentalização da academia

    De acordo com a recente afirmação do autor do relatório, Stephen Tharrett, de que as academias polivalentes tradicionais não atendem a uma comunidade de 3.000 alunos, mas sim a de “30 grupos de 100”, a pesquisa destaca a crescente 'compartimentação de academias' com áreas de uma instalação sendo cada vez mais dedicado a treinos coletivos específicos.

    As zonas de treinamento funcional estão no topo da lista, com uma taxa de adoção global de 42%, enquanto as zonas de alongamento (40%), estúdios de ciclismo em grupo (35%) e estúdios de body/ mind também estão em ascensão, refletindo a crescente popularidade do yoga e do ciclismo, principalmente entre a geração Y e a geração Z.

    Fonte - Relatório de tendências do setor de fitness da ClubIntel International

    Igualmente reveladores, dizem os autores, são as tendências de nicho de treino que não estão pegando nos clubes, apesar de atrair uma cobertura significativa da imprensa nos últimos anos. As áreas de exercícios médicos estão presentes em apenas 9% dos clubes em todo o mundo, enquanto estúdios de ioga quentes (7%) e paredes de ioga (3%) também são raramente encontrados.

    "Cada uma dessas áreas atende a ofertas que receberam considerável imprensa nos últimos anos", observam os autores. "No entanto, os operadores ainda precisam implementá-los com o mesmo grau de voracidade com que são promovidos na imprensa".

    2. HIIT ainda está quente - e liderando os treinos coletivos

    Continuando sua ascensão ao topo da cadeia alimentar de estúdios, o HIIT é listado como o treino em grupo mais popular do mundo, com aulas em 56% das academias, enquanto o treinamento em pequenos grupos HIIT (para 6 pessoas ou menos) está presente em quase metade dos negócios (49%).

    Enquanto isso, as aulas de ciclismo em grupo têm uma taxa de penetração global de 50% (subindo para 75% em instalações comerciais com fins lucrativos), e exercícios em grupo pré-coreografados (como as aulas da Les Mills) podem ser encontrados em 43% das academias globais.

    “Sete das dez principais tendências mundiais de programas são orientadas a exercícios em grupo (por exemplo, HIIT, ciclismo, aulas pré-coreografadas e yoga), e as outras três são relacionadas a treinamento (por exemplo, personal trainer, pesos livres e treinamento funcional)".

    “Deduz-se disso como as aulas em grupo se tornaram influentes para proporcionar a experiência dos alunos. O outro insight importante fala sobre ciclismo em grupo, aulas HIIT / treinamento em pequenos grupos e yoga como praticamente indispensável, a menos que sua instalação seja um estúdio/boutique oferecendo um protocolo de programa diferente.”

    Fonte - Relatório de tendências do setor de fitness da ClubIntel International

    3. Mais programas estão 'cruzando o abismo' para a aceitação convencional

    Invocando a curva de adoção de Rogers - apresentada pela primeira vez por Everett Rogers em seu renomado livro Diffusion of Innovations - os autores traçam o surgimento de exercícios em grupo e classificam aqueles que agora são os pilares da indústria, em comparação com programas próximos à conquista do mainstream e aqueles que permanecem como nicho.

    Tendo ultrapassado a marca de 50% de adoção, o HIIT e o ciclismo em grupo são categorizados como estando no estágio majoritário tardio da adoção convencional, enquanto aqueles no estágio majoritário inicial da adoção convencional e no limite de 50% incluem aulas de condicionamento no estilo bootcamp, aulas coletivas pré-coreografadas e yoga tradicional (como Ashtanga, Hatha e Ivengar), bem como aulas com barra e equipamentos.

    Os programas ainda para 'atravessar o abismo' e ultrapassar uma taxa de adoção de 16% incluem artes marciais baseadas em body/mind (15%) yoga suspenso (10%) e treinamento EMS (4%) - todos os quais permanecem como nicho de treinos em grupo nesta fase.

    Fonte - Relatório de tendências do setor de fitness da ClubIntel International

    4. 'Darwinismo Digital' vê academias ainda atrasadas ​​na frente tecnológica

    O relatório também examina o impacto nas academias do 'darwinismo digital' - o termo cunhado para descrever o atual zeitgeist em que a tecnologia e a sociedade estão evoluindo mais rapidamente do que as empresas podem se adaptar naturalmente.

    Os autores observam “a velocidade com que os gestores de fitness adotam e alavancam a tecnologia terá um impacto material em seu sucesso futuro” e alertam que os negócios que não acompanharem o ritmo correm o risco de extinção.

    Embora metade de todas as academias (49%) relate que utiliza as mídias sociais para promover suas ofertas, apenas 22% atualmente apoiam as compras online de assinaturas, enquanto a adoção de tecnologia para apoiar as ofertas de treinos em grupo permanece muito em sua infância.

    Cerca de 13% das academias oferecem aulas de ginástica virtual em grupo, embora apenas um terço desse número ofereça aulas que possam ser transmitidas além das quatro paredes da academia, alertam os autores.

    “O conteúdo de fitness para streaming e para download, como o oferecido por Peloton e players do setor, como Les Mills e Wexer, só foi adotado por 5% dos gestores”, eles escrevem.

    "À medida que o condicionamento físico passa de uma experiência física para uma digital, os gestores precisarão buscar essas plataformas de forma mais assertiva para permanecerem relevantes".

    5. Os EUA não são mais os únicos lançadores de tendências

    Depois de anos sendo o berço das tendências globais de fitness, os EUA não podem mais ser considerados os principais lançadores de tendências do setor, de acordo com o relatório. Ele observa uma marcante mudança de poder, com as tendências globais da indústria agora também emergindo da Ásia, Europa e América Latina, graças à crescente concorrência em todos os mercados de condicionamento físico, forçando as academias a evoluírem e inovarem a um ritmo mais rápido para permanecerem à frente.

    Os autores relatam que essa nova ordem mundial significa "Não apenas as tendências podem emergir de qualquer região do globo, mas o grau em que uma tendência é adotada é uma consequência em muitos casos do mercado regional". Outra consideração importante é a demografia e a composição cultural de cada mercado, com fatores como idade, práticas culturais e níveis de renda influenciando as preferências das pessoas.

    BAIXE O RELATÓRIO COMPLETO

    Acesse todas as informações do ClubIntel

    DOWNLOAD DO RELATÓRIO EM INGLÊS