Carregando...

0 Localizações encontrados perto de você

    Encontre uma aula

    Não podemos ver nenhum resultado para essa pesquisa. Dica: tente usar o nome da cidade mais próxima.

    Todas as Aulas
    Voltar para o mapa

    Nenhum resultado

    Não podemos ver nenhum resultado para essa pesquisa. Dica: tente usar o nome da cidade mais próxima.

    Tendencias de fitness

    Emma Barry sobre como os setores externos ajudarão a moldar o futuro do fitness

    A lenda do fitness coletivo, Emma Barry, compartilha ideias de 25 anos de experiência no setor fitness e seu recente trabalho de consultoria para algumas das maiores redes de academia do mundo para explicar por que indústrias externas ajudarão a moldar a aptidão física na próxima década.

    Les Mills
    Emma Barry

    Les Mills: Como alguém que tem sido um observador atento do setor de boutiques, você acha que estamos chegando ao 'pico boutique', ou ainda há muito crescimento pela frente?

    Emma Barry: Estamos apenas começando.

    As cidades pioneiras, Nova York e Los Angeles, estão um pouco saturadas e Londres está fazendo o mesmo com o setor imobiliário. Como todas as empresas; as boutiques ruins falharão e as boas butiques alcançarão o sucesso.

    As cidades secundárias estão entrando em operação como franquias de áreas urbanas para áreas mais residenciais, com marcas como Orangetheory, F45 e as muitas marcas de boxe. A Xponential e sua casa de oito marcas de boutiques (Pure Barre, AKT, Row House, StretchLab, Stride, CycleBar, YogaSix, Club Pilates) também estão se expandindo agressivamente globalmente.

    Localmente, os empreendedores também estão aproveitando o modelo de negócio boutique mais lucrativo (imóveis menores, maior pagamento por experiência) para que o setor de boutiques ainda esteja em crescimento saudável.

    LM: Treinar em casa é um tema muito interessante no momento. Quais são as outras tendências em fitness realmente excitantes?

    EB: Sim, empresas como a Peloton estão estabelecendo o espaço doméstico como uma ótima opção de exercícios físicos que se tornará ainda mais atraente se entrarmos em recessão.

    Outras tendências que vejo no fitness são destacadas em conferências que participo fora de nossa indústria, como a Consumer Electronics Show (EUA) e a Global Wellness Summit (Itália).

    A tecnologia é disruptiva, sendo número um de todas as empresas. Enquanto grande parte da indústria de fitness tem demorado a adotar tecnologia que agiliza sistemas, captura e extrai dados e aprimora experiências; a ascensão de 'wearables' para a tendência de fitness global número um é evidência de que está finalmente se tornando um foco.

    A hiper personalização é outra grande tendência exigida pelos consumidores hoje em dia e só precisamos olhar para a saúde e a beleza para sugestões progressivas sobre como fornecer exatamente o que eu quero, quando quero e como quero.

    Além disso, o ClassPass, está se firmando globalmente, da mesma forma como testemunhamos a evolução da indústria de viagens.

    E, finalmente, esperamos ver os gigantes da mídia e do entretenimento se transformando em aptidão física, com empresas como a SoulCycle investindo em uma forte divisão de mídia dedicada a entregar conteúdo de marketing transformador que complementa a experiência do estúdio e adiciona novos fluxos de receita. Enquanto isso, a Scooter Braun (força-guia por trás de Justin Bieber, Ariana Grande, Usher e Kayne West) está em parceria com a Rumble para lançar sua marca de treinos em casa para adicionar sua programação, produção e gestão de talentos.

    LM: O que as academias tradicionais devem fazer para competir com as boutiques?

    EB: Há muitas vantagens se as grandes academias puderem resistir à tempestade das boutiques. Eles têm espaço, áreas de armários maiores, áreas de estacionamento, variedade, o potencial para construir tribos maiores e mais integradas, e potencialmente investimentos mais profundos com mais segurança de renda devido ao seu modelo de afiliação.

    Três coisas para se concentrar imediatamente são:

    1. Conheça seus alunos - o número de academias de grande porte que não segmentam os dados de seus clientes para oferecer promoções e bens e serviços baseados em suas preferências é surpreendente.
    2. Remapear sua experiência no programa. As boutiques nos ensinaram uma experiência focada e de alto nível, pela qual os alunos pagam muito mais e felizes. Eleve sua programação e seu talento redefinindo todos os seus pontos de contato.
    3. Construa e eles virão. Invista em suas instalações para criar um cenário inspirador digno das experiências que você está oferecendo. Crie tanto quanto o seu orçamento permitir.
    Emma diz que as academias tradicionais devem adotar uma abordagem arrojada de seus conceitos de programação e estúdio para combater as boutiques

    LM: E quando entramos em uma nova era de condicionamento físico, como você vê os treinos em grupo evoluindo ao longo da próxima década?

    EB: O exercício físico em grupo irá evoluir em todas as direções. Pense em consumir a forma física como consumimos alimentos. Considere as muitas opções de restaurantes; experiência de cinco estrelas, lanche barato em uma praça de alimentação, supermercado ou entrega de comida. Isso equivale a se exercitar em uma academia, em casa, em seu aplicativo no celular, uma aula virtual, durante as férias, participando de um festival ou participando de um jogo. Você também terá suas preferências entregues a você de maneira preditiva em termos de gênero de exercício físico, duração, sua escolha de professor e realização de métricas-chave.

    LM: E se você é um gestor de academia, como pode garantir que aproveita essas oportunidades e não é vítima de interrupções?

    EB: Você tem que aceitar que é "inovar ou morrer" - nós ouvimos essa frase muitas vezes, mas é verdade. Precisamos conhecer nossos clientes, seguir em frente e tentar coisas novas. Seja sempre um teste A / B, ouvindo os alunos, funcionários, amantes e inimigos da marca, e continue em busca de novas oportunidades. Não tenha medo de mudar o modelo de negócio, alterar as estruturas de preços, tentar programação nova e em tendência, construir um novo espaço. Seja mais guiado pelos dados. Elimine as ideias ruins que estão sugando recursos e corra corajosamente em direção ao novo mundo. Os dias de 'experiência passada' acabaram. Os dias de decidir qual é a melhor imagem de marketing sumiram. Basta testar com os clientes e concorrer com o vencedor. Mude o jogo antes que alguém faça isso por você.

    LM: O que você diria que são os ingredientes-chave para uma ótima experiência para os alunos ficarem engajados?

    EB: Sem surpresa, a pesquisa confirma que os dois principais ingredientes das boutiques são os melhores talentos e a poderosa programação. Invista em acertar nesses fundamentos. Naturalmente, suas instalações fornecem o ambiente tangível que deve atrair e encantar seus alunos, mas o conteúdo ainda é excelente e os maravilhosos professores podem melhorar ou estragar.

    LM: Como você vê o papel da automação habilitada pela tecnologia e a liberação da equipe para oferecer um toque mais pessoal?

    EB: Estou muito empolgada com o que a tecnologia vai permitir, tanto em termos de automatizar o mundo quanto melhorar a experiência real (wearables, programação preditiva, metas customizadas, instalações aprimoradas por tecnologia). As pessoas procuram um sentimento. O que os humanos fazem melhor é criar, resolver problemas e se conectar, porque somos seres sociais, buscando experiências. A tecnologia ajuda a nos liberar para levar esse conjunto de habilidades para o próximo nível.

    Amazon Prime e outros exemplos de varejo de comércio sem atrito nos condicionaram por conveniência, então, para nós, sermos capazes de nos concentrar nos momentos humanos significa que podemos dedicar mais tempo para facilitar esse sentimento e criar o desejo de retorno.

    Apesar dos avanços nos treinos virtuais e sob demanda, Emma diz que ótimos professores ao vivo ainda podem fazer ou quebrar o sucesso da oferta de aulas coletivas na sua academia.

    LM: Você ficou famosa como uma professora rockstar, o que você acha do papel do professor hoje, no mundo virtual e sob demanda?

    EB: Claro, é um ótimo momento para ser um professor virtual ou transmitido, especialmente se for para alguém como o Peloton, porque você é transmitido para milhares de pessoas.

    As funções dos professores continuarão a existir enquanto as boutiques se expandem, as grandes empresas rebatem e as academias de baixo custo reconhecem a importância dos formatos de aulas ao vivo para manter seus alunos felizes, mas isso não é hora de ser mediano. Todos nós precisamos melhorar nosso jogo. Com as soluções digitais fornecendo muito conteúdo excelente, precisamos nos tornar ótimos professores, conectores e apresentadores que garantem que as pessoas realmente se esforcem para estar e treinar conosco. Nós devemos fazer um show.

    Enquanto alguns trabalhos vão evaporar com a introdução de soluções virtuais e outras soluções digitais, papéis híbridos também surgirão onde o professor está capacitado e oferece mais de uma função: concierge, coach ou conector. Na F45 (franquia australiana) e na Miss Sporty (franquia alemã), a equipe está conectando, treinando e motivando o treino, em vez de prescrevê-lo. Isso é deixado para a tecnologia entregar. Esses papéis se tornarão mais comuns.

    Em resumo, precisamos nos tornar melhores em criar laços humanos.

    Sobre a Emma Barry

    Emma Barry é uma observadora e catalisadora. Membro fundador das aulas coletivas da Les Mills International e ex-diretora da marca de estilo de vida de luxo Equinox; Emma inspirou altos cargos no mercado fitness, desenvolvimento de produtos, treinamento global e pessoas e cultura.

    Emma consulta os segmentos de fitness que mais crescem: academias de baixo custo, estúdios de moda e start-ups de tecnologia de ponta. Uma escritora e oradora procurada, ela é fluente no que acontece no futuro do fitness. Experiente, com 25 anos de histórias na bagagem, Emma contribui regularmente para fóruns de negócios, painéis de tendências e eventos femininos.

    Em 2018, Emma escreveu sobre Engajamento dos Clientes em Studios e Boutiques com a EuropeActive e está trabalhando em seu próximo livro, Building a Badass Boutique que será lançado em 2020. http://emmabarry.com / @emmaccbarry